Nossos projetos

Projeto 1. ​Efeito de alterações na vegetação ripária sobre a diversidade de organismos e qualidade da matéria
orgânica disponível em riachos de Mata Atlântica do Espírito Santo

Financiamento: FAPES; CNPq

O projeto de pesquisa avaliará o efeito das alterações na vegetação ripária sobre a disponibilidade e a qualidade da matéria orgânica, a diversidade de organismos decompositores e o processamento de detritos foliares em riachos de Mata Atlântica do Estado do Espírito Santo. Foi hipotetizado que estas alterações também influenciam a natureza química das frações humificadas no sedimento e na água, podendo causar mudanças marcantes nas condições ecológicas e na qualidade da matéria orgânica disponível. Esta é uma nova abordagem de investigação que tentará relacionar os principais processos ecológicos que ocorrem em riachos de Mata Atlântica com a qualidade das substâncias húmicas, que parte do pressuposto de que qualquer alteração na vegetação ripária interfere no metabolismo energético e no funcionamento dos ecossistemas lóticos.

Projeto 2. A cadeia de detritos em riachos de Mata Atlântica: entendendo o papel de fungos decompositores,
invertebrados fragmentadores e macroconsumidores no processamento de matéria orgânica.

Financiamento: FAPES

 

Em riachos sombreados pela vegetação ripária, a cadeia de detritos é importante para a manutenção da biodiversidade aquática, visto que a maior fonte de energia para os organismos heterotróficos provém da matéria orgânica de origem alóctone. Ao entrarem no ecossistema aquático, os detritos foliares provenientes das áreas adjacentes são rapidamente colonizados por microrganismos decompositores. Estes modificam as características dos detritos tornando-os mais atrativos para os invertebrados fragmentadores que, através da sua atividade, promovem a diminuição da matéria orgânica em partículas menores. Em alguns riachos da região tropical, como os encontrados na Mata Atlântica, organismos macroconsumidores, como peixes, camarões e caranguejos, também podem

influenciar o processamento material orgânico, uma vez que podem se alimentar tanto dos detritos foliares quanto dos invertebrados fragmentadores. A linha de pesquisa desta proposta tem como objetivo determinar o papel dos fungos decompositores, invertebrados fragmentadores e macroconsumidores no processamento de matéria orgânica em riachos de Mata Atlântica e avaliar de que forma as interações entre estes organismos influenciam o processo de decomposição.

A Projeto 3. Avaliação dos impactos de atividades de mineração e logística em ecossistemas lênticos: ênfase em organismos bioindicadores e processos ecológicos.

Financiamento: Cooperação VALE/FAPES/FAPERJ

 

Como consequência das atividades antrópicas, tem-se observado uma expressiva alteração dos ecossistemas aquáticos, uma vez que estes ambientes refletem todas as modificações que ocorrem na paisagem do seu entorno. Em função disso, os ecossistemas aquáticos localizados em áreas urbanas e industrializadas tem apresentado uma queda da qualidade da água, além da perda da diversidade aquática e alterações em seus processos ecológicos, como resultado da desestruturação do ambiente físico e químico e da alteração da dinâmica natural das comunidades biológicas. Normalmente, alterações nos ambientes aquáticos causam a diminuição da diversidade de habitats e aumento das concentrações de poluentes na água, que podem ter consequências graves como a eutrofização artificial e o 

 

acúmulo de metais pesados no sedimento e biota. Esta proposta tem como objetivo geral avaliar a integridade estrutural e funcional de lagoas que apresentam diferentes níveis de impactos causados pelas atividades de mineração e logística através da utilização organismos bioindicadores e processos ecológicos.

Invertebrados Fragmentadores